Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

russomanias

russomanias

A bela e o monstro

A semana passada desembarquei na Praia do Titan, em Matosinhos, extenso e bonito areal pegado à parte sul do Porto de Leixões. Já lá tinha passado algumas vezes, mas só nesse dia me deu para observar mais atentamente toda aquela extensa e bela paisagem, com o seu mar ameno e enorme extensão de areia fina, em dia escaldante e pejado de multidões. As esplanadas não tinham mãos a medir, mais parecendo uma dessas praias chiquérrimas do Algarve ou da Linha de Cascais. De repente olhei mais atentamente e dei de frente com um enorme edifício branco mesmo ao lado da praia, mas dentro ainda da parte sul do Porto de Leixões, edifício esse bem visível já, a quilómetros de distância, a quem frequenta a marginal oceânica do concelho de Vila Nova de Gaia e mais a sul até. Foi então que me lembrei que já fazia tempo que me tinha decidido a visitar um dia aquele imponente e fora do comum edifício que alguma polémica vinha já levantando na imprensa diária do Porto e mesmo até entre o poder centrar e a autarquia de Matosinhos. Lancei então mãos à obra e predispuz-me a rentabilizar o meu tempo e a conhecer o emblemático, gigantesco e fora do comum... Terminal de Cruzeiros do Porto de Leixões.

 

O Terminal de Cruzeiros do Porto de Leixões foi inaugurado em 23 de Julho deste ano e teve um custo total de cerca de 50 milhões de euros, sendo composto por um novo cais de 340 metros de comprimento e 10 metros de profundidade, permitindo a acostagem de navios de cruzeiro com um máximo de 300 metros de comprimento. Da obra fazem ainda parte uma estação de passageiros, cais-fluvio marítimo, porto de recreio náutico e estacionamento para autocarros. O imponente e controverso edifício destinado à estação de passageiros vai albergar ainda o Parque de Ciência e Tecnologias do Mar da Universidade do Porto e será a séde do CIIMAR - Centro Interdisciplinar de Investigação Marinha da Universidade do Porto. Como cidadão de pleno direito, achei-me no dever, como terá certamente acontecido a muita outra gente, de poder apreciar, avaliar e tirar as minhas próprias conclusões sobre um investimento de elevado valor feito em época de crise, mas que contudo nos foi indicado, a nós cidadãos, como fundamental para toda esta vasta e tantas vezes esquecida região norte e estruturante para o necessário desenvolvimento das infraestruturas de apoio e fomento do turismo em toda esta vasta região.

 

Mas esta minha tentativa de poder visitar uma importante infraestrutura inaugurada no passado dia 23 de Julho deparou-se com vários senãos. Em primeiro lugar, ninguém me soube dizer qual a entrada para visitar o "monstro". Em segundo lugar, o organismo do Ministério da Agricultura e do Mar, situado na Avenida Norton de Matos, junto ao Posto de Turismo de Matosinhos e mesmo em frente ao "bicharoco", tem na sua porta uma informação para aqueles que pretendam visitar o "bicho", indicando que se ligue para a APDL - Administração dos Portos do Douro, Leixões e Viana do Castelo, com o número de telefone tal e tal, tendo uma sua funcionária contudo avançado que não adianta nada, porque o Terminal de Cruzeiros não é para já visitável. E mais, que a APDL não achou graça nenhuma à indicação do seu número de telefone para informações sobre as visitas ao Terminal e ficou até chateada com o assunto. Como me lembrei entretanto que estava em Portugal, concluí que estava eu ali, pois, a desbaratinar o meu rico tempinho.

 

Pelo que, quanto a podermos visitar o Terminal de Cruzeiros do Porto de Leixões, onde foram gastos 50 milhões de euros dos contribuintes... o melhor é esperarmos sentados!...