Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

russomanias

russomanias

A Rússia outra vez?...

Quando eu era puto era voz corrente, no Portugal tacanho e embrutecido de então, que Nossa Senhora de Fátima aparecera aos três pastorinhos, entre outras razões, com uma importante missão... rezar pela reconversão da Rússia. Por aqueles tempos eu não estava mesmo nada a ver o que tinha Portugal a ver com a Rússia, já que sabia, porque lia a imprensa censurada de então, que entre os dois países nem sequer relações diplomáticas havia. Mas que o pessoal das batinas pretas e do governo fascista de então não podiam com a Rússia nem pintada, lá isso não. Depois chegou a democracia e, os mesmos e mais alguns que contaram outrora as balelas do recado da Senhora aos pastorinhos, começaram então a propalar que, na Rússia, os comunistas comiam as criancinhas. E não é que até deu na televisão da altura algumas pessoas das aldeias do interior a confirmar que sim, que era verdade todas aquelas maldades na Rússia?

 

Os anos foram passando, e então um dia um presidente americano, aquele das cowboiadas, o Reagan, veio dizer ao mundo que os americanos é que eram os bons e que os maus eram os russos. E a coisa até funcionou bem para os americanos, já que para o lado dos russos tudo começou a tremer e, passados uns tempos, toda a União Soviética, que para os ocidentais era convenientemente confundida com a Rússia, não passava de uma autêntica manta de retalhos que, por fim, se pulverizou em mil pedaços. Pensava eu então que, finalmente, as estórinhas sobre a façanhuda Rússia tinham acabado e que, finalmente, iriamos todos poder fruir descansadamente de um olhar mais objectivo e verdadeiro sobre a pátria de Pushkin, Tolstoi, Gogol, Tchekhov, Dostoievski, nomes supremos da literatura russa e mundial. Eu pensava, mas não foi assim que aconteceu, pois os tais "bons" da fita voltaram de novo à carga e não têm parado de chicotear a Rússia. E tudo porquê?... porque, segundo dizem, a Rússia se atreveu a reaver a Crimeia da Ucrânia, que lhe havia sida dada, em Fevereiro de 1954, pelo então presidente da União Soviética, Krushchev, que era ucraniano. Contudo, a Crimeia sempre fez parte da Rússia, pelo menos desde que esta daí expulsou os exércitos otomanos.

 

Porque razão então os ditos "bons" se preocupam agora de novo com a Rússia? Estendamos um mapa mundi em cima da mesa e olhemos para as dimensões daquele colossal país. Confrontemos agora isso com as suas incomensuráveis riquezas em petróleo, gaz, diamantes, alumínio e outros importantes minerais estratégicos. Hitler, pelos vistos um "bom" extremista e dos duros, em 22 de Junho de 1941 tentou apossar-se de todas essas riquezas pela força e, no final, deu-se muito, mas muito mal. As subtilezas dos "bons" de 2015 são diferentes... mas os objectivos reais são os mesmos!...