Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

russomanias

russomanias

Ainda sobre o vírus da estupidez

Aqui há dias li numa revista portuguesa muito conhecida que um grupo de investigadores norte-americanos da Universidade do Nebraska (Escola de Medicina John Hopkins) haviam descoberto o vírus da estupidez, ao qual chamaram ATCV-1, facto que desde já reputo da máxima importância para o futuro do nosso país, sabido como é que tal doença é superabundante cá entre nós e se tem desde sempre manifestado de difícil erradicação. E como aparece então esse tal vírus ATCV-1? Segundo tais investigadores, o vírus só tinha sido encontrado em algas verdes de lagos e rios pelo que, concluem alguns, terá sido através da ingestão dessas algas via alimentação que o virus chegou até aos humanos. Claro que outros especialistas aparecem a contrariar esta conclusão, não cabendo ao espaço deste blog entrar em contradita com esta ou aquela descoberta cientifica, interessando mais aqui o facto de que, pelos vistos, a estupidez tem uma causa viral. E quanto a este facto tenho a minha própria teoria, se não científica pelo menos crítica.

 

Ora, é sabido que a água tratada que se bebe em Portugal é oriunda, na sua maior parte, dos Serviços das centenas de Câmaras Municipais espalhadas de norte a sul do país, que por seu lado a vão captar aos vários e pujantes rios que cruzam a nossa península ibérica. Também toda a gente sabe que todos os nossos principais rios estão enxameados de dezenas de barragens e que tal facto impede as águas de circular com a devida força e rapidez, criando variadíssimas situações de águas quase paradas, principalmente no verão, originando a criação e o desenvolvimento das tais algas e, logo, do referido vírus ATCV-1. Até aqui nada de anormal e tudo muito simples. Agora só falta descobrir, e esta é a minha teoria sobre o assunto, qual o tipo de água consumida pelas inúmeras "inteligências", a transbordar ATCV-1, que nos atazinam a cabeça todos os dias, de manhã à noite, nas dezenas de canais das nossas TV's e estabelecer uma relação: quais aqueles que consomem água dos Serviços Municipalizados e aqueles outros que só consomem água da montanha, através de garrafão, livre portanto do tal vírus. É que, se para combater e eliminar eficazmente o vírus da estupidez dessa gente precisarmos de destruir todas as nossas ricas barragens, que tanto saber e dinheiro nos custaram... estamos estupidamente desgraçados!...