Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

russomanias

russomanias

Da União Europeia, eu?...

Já ouvimos mais de milhentas e uma opiniões sobre as vantagens e desvantagens de pertencer à União Europeia. E é claro que nenhum de nós é assim tão burro que não perceba logo que uma coisa é podermos estar sentados a uma mesa grande e farta onde os comensais são mais que muitos e o que cada um deles contribui para o repasto dá e sobra para nos satisfazer o apetite e aquecer e animar a alma. E que outra coisa, bem diferente, é uma pujante e soberba Alemanha entrar na sala carregadinha daquelas famosas salsichas com mostarda e cerveja de Munique que só eles sabem fazer. Só aquilo dava para sustentar os 28 sedentes e esfomeados e ainda sobrava para deitar fóra. Mas entretanto chega a orgulhosa França a abarrotar de queijos Camembert e Roquefort, "foie-gras" e champanhe Veuve Clicquot. Meu Deus, que vamos fazer a tanta fartura? Mas atenção, ainda não chegou o sempre desconfiado e prático Reino Unido, com as suas soberbas costelas de borrego, cortadas como só eles o sabem fazer, o seu fabuloso queijo Stilton e o "Christmas Cake" pesado como chumbo mas de comer e chorar por mais. É a este faustoso e sempre insatisfeito clube de comilões que países como Portugal têm que satisfazer à mesa e fóra dela.

 

Esta semana, ao ouvir mais uma vez o sempre mal disposto e embirrento ministro alemão Schäuble falar sobranceiramente sobre Portugal, perdi o pouco apetite que já me restava de continuar a servir à mesa de tal súcia de macilentos glutões, trogloditas, sebosos, bêbados, presunçosos, egoístas, empedernidos nacionalistas, oportunistas, conservadores, anti-europeus, analfabetos, incultos e outros nomes de que entretanto me recordarei em próximas crónicas. Empanturrem-se vocês para aí com as vossas salsichas, o vosso "foie gras", o vosso Stilton, a vossa cerveja e a vossa Veuve Clicquot, que eu por cá me contento com o meu presunto de Chaves, o meu leitão da Bairrada, o meu cozido à portuguesa, o meu queijo da Serra, os meus ovos moles de Aveiro, as minhas deliciosas natinhas com canela, o meu pão-de-ló de Arouca, o meu inigulável vinho do Porto "vintage", o meu cafézinho Sanzala e milhentas outras variadas iguarias com que vocês, seus merdas, e para vocês a preço de saldo, vos lambuzais todos quando tendes a infinita sorte de assentar o coirão neste pequeno mas orgulhoso país.

 

Da União Europeia, eu?...