Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

russomanias

russomanias

Eu tive um sonho!...

Lembram-se daquele célebre discurso de Martin Luther King "I have a dream"? Pois é. Quem de nós já não teve alguma vez um sonho que um dia seria isto ou aquilo, viajaria talvez a uma região distante, veria o seu país numa determinada situação, presenciaria os seus filhos ou netos abraçar uma determinada causa ou profissão. A mente humana é desmesurada e nisto de sonhos o seu poder e alcance são infinitos. Quando somos crianças o sonho ocupa a parte mais importante do nosso dia-a-dia e projecta-nos para tempos e situações que fazem parte do maravilhoso. Não importa que o sonho seja difícil de concretizar ou que a realidade seja mais perversa e dura que se possa imaginar. O sonho flui, faz parte da nossa manifestação diária e quem sonha só por si já é feliz. Depois o tempo passa, a vida encarrega-se de nos moldar o espírito e o sonho, esse, encontra cada vez menos espaço para se espressar livremente. Aos que se atrevem na idade madura a dar-lhe asas logo se atira, com desdém... "és um sonhador"!...

 

Por tudo isso, raramente me atrevo a expressar em alta voz um sonho fóra do meu circulo familiar, que me conhece bem e não se admira nada de presenciar um qualquer adulto imbuído de espírito livre e sonhador. Só que desta vez o meu sonho foi mais abrangente e pode talvez, caso se concretize, afectar, para o bem ou para o mal, todo um país. E trata-se nem mais nem menos de ter um dia destes sonhado que Portugal iria enfrentar a Alemanha na final do Euro 2016 e que o Sergío Conceição foi confidenciar com o Ronaldo, o Renato e o Quaresma e contar-lhes o que lhe passou pela cabeça quando enfiou 3 sêcos à Alemanha no Euro 2000, tendo os nossos 3 magníficos jurado ao herói daquele Portugal - Alemanha de 2000 que pelo menos cada um deles iria enfiar um valente sêco no "galinheiro" teutónico no final deste Euro 2016. É mais que evidente que se tal acontecer o pobretanas e pequenino Portugal terá mostrado à poderosa e mandona Alemanha que desta vez teremos não um mas três Davides para enfrentar o medonho Golias que tem atormentado a velha e arquejante Europa. Claro que numa tal situação o terrífico Schäuble não nos irá perdoar a afronta e... adeus fundos Portugal 2020, o que, não sendo uma tragédia nacional, pelo menos iria afectar muito gravemente todo aquele tecido empresarial português sempre muito habituado a reforçar as suas valiosas colecções de carros de luxo com os fundos da União Europeia.