Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

russomanias

russomanias

Fechado para Balanço

Mais um ano chega ao fim e é chegada a hora de fechar a loja para balanço. Claro que isto é uma forma arrevesada e contabilística de afirmar que chegou o momento de parar um pouco e fazer um pequeno apanhado do que de bom ou de mau se passou durante este ano de 2014. Este é um exercício obrigatório para toda a gente, que todos deveriamos fazer, mas o certo é que por vezes só de forma inconsciente o concretizamos. Eu por mim, quando me dá na telha, costumo escrever na agenda nova de cada ano os objectivos pessoais e de família para esse ano, fazendo de vez em quando uma revisão ao andamento das coisas e à sua concretização ou não. Sinceramente, não sei dizer se tudo isto que faço é bom ou não. Mas uma coisa eu sei... alguém acima de nós acaba por controlar quase sempre os nossos cordelinhos.

 

Que podemos nós pois dizer sobre o que de bom tenha acontecido em Portugal em 2014?... a saída da Troica?... o ligeiríssimo abrandamento das medidas de austeridade?... o crescimento propalado, mas sempre fictício, do emprego?... o aumento do número de turistas?... o hipotético crescimento da economia em algumas décimas?... o sobe e desce das nossas exportações?... muito sinceramente, tenho dificuldade em sublinhar uma única situação que seja digna de a considerar como boa.

 

Infelizmente, como coisas mais negativas ou menos boas, o rol é bem maior, como seja a pobreza crescente de grande parte da população; a falta de empregos reais (não a fazer de conta) para todas as faixas etárias da população; o roubo continuado e indigno dos reformados; o abandono e maus tratos aos idosos; os casos crescentes de crianças que vão com fome para as escolas; a falta de perspectivas de futuro para milhares de jovens; os inúmeros casos de corrupção ao mais alto nível dos escalões do estado, das autarquias e dos bancos; as falências de milhares de empresas e particulares; o crescente aumento dos casos de maus tratos e assassinatos no meio familiar, sem dúvida derivados do agudizar das dificuldades; a falta de perspectivas e medidas do governo relativamente a um melhor futuro e, por último, a consciência de que os culpados pela actual situação caótica do país vão continuar numa boa e a subir e a descer do poleiro do poder como se nada de mal tivessem feito... e isto com os votos da maioria dos que mais foram atingidos.

 

Por conseguinte, no Deve e Haver deste meu breve Balanço de 2014 a Situação Líquida da loja apresenta-se assim... altamente negativa!...

 

Pessimista, eu?... não!... trilhado!...