Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

russomanias

russomanias

O Grande Jogo

Portugal é um país pequeno, mas o jogo aqui é sempre à grande. Jorge Jesus não esteve com meias medidas e no passado fim de semana mostrou a Luís Filipe Vieira que os campeonatos que ganhou pelo Benfica não foram obra do acaso, antes resultado do seu trabalho e do seu conhecimento. É claro que o Luís sabia disso e, antes do "grande jogo" e para assustar o homem, pregou-lhe com uma acção judicial de 14 milhões para o fazer tremer e baixar o astral. Mas o Jesus tinha em mão um grande trunfo... nem mais nem menos que o "software" de toda aquela engrenagem do Benfica, aliás inventado por ele, que de vernáculo português pouco pesca mas no que toca a engenharia informática é uma autêntica sumidade. É claro que o Luís cometeu um erro crasso ao pensar que os Mourinhos estão todos aí ao dobrar da esquina à espera de ganhar campeonatos a troco de muito menos de metade do que se paga a um "mister" de craveira. O Jesus, é claro, sabendo que o "grande jogo" do Benfica foi menosprezá-lo e trocá-lo por um rapazito do Guimarães para poupar uns "cobres", fez o que qualquer um de nós faria... puxõu dos galões e do "know how" acumulado e espetou três secos sem resposta. Mas que "grande jogo"!...

 

Cavaco Silva, por seu lado, fez o que prometeu e indigitou Passos Coelho como primeiro ministro. É claro que ele bem sabe que o "seu" governo já tem a cama feita, vai andar aos papeis e de seguida cair. Mas isso pouco importa ao teimosíssimo Cavaco, já que o que sempre releva mesmo para ele são os respeitadíssimos "mercados" que nos dão de comer e beber e sem os quais Portugal deixa de existir. Para ele o "grande jogo" é travar a esquerda e impedí-la de governar a qualquer custo, coisa completamente aceitável e de louvar para quem, como ele, tem uma visão da democracia como o governo dos "iluminados" sobre a ralé. É claro que a jogada é bastante duvidosa e o "árbitro" favorece escandalosamente aqui uma das equipas, situação esta que propicia fortes reparos e possíveis apupos por parte da assistência. Mas o "grande jogo" não pára por aqui, já que pelos vistos falhou a tentativa de a coligação de direita encostar a esquerda à linha de fundo e lançar a divisão no seu seio com a mais que estéril discussão na Assembleia da República sobre os Tratados que ligam Portugal à Europa, jogada foleira e sem sentido que foi logo colocada em "fóra de jogo" pela esquerda maioritária. É claro que a coligação de direita prepara-se já para colocar pressão sobre o PS  e oferecer-lhe antecipadamente dois ou três "golitos" adiantados para o "comprar" no dia da discussão do Programa do Governo. Para que o "jogo" continue em grande estilo, só falta mesmo que o PS diga claramente à coligação que... o seu campeonato é outro!...