Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

russomanias

russomanias

Olho vivo, ò vítimas dos aldrabões!...

Quem de nós já não leu nos jornais aquelas tristes notícias que um ou dois figurões bem vestidos e melhor falantes andaram por essas aldeias enganando gente incauta, principalmente idosos morando em locais ermos e isolados, fazendo-se passar por gente de bem, representantes da empresa tal e tal, com o único fito de lhes roubar as míseras economias ou os parcos haveres economizados ao longo de muitos anos de trabalho duro e a maior parte das vezes mal pago? Se repararmos bem nessas notícias, duas características geralmente sobressaem nesses amigos do alheio e que lhes garantem à partida o sucesso da operação: são sempre pessoas bem falantes, simpáticas, cortezes, com muito boa apresentação, geralmente de fatinho e gravata para melhor impressionar. Hipnotizadas as vítimas com tão eficientes parafrenálias, entram-lhes sorrateiramente em casa e dão-lhes o golpe sem dó nem piedade. Todos os dias tomamos conhecimento de casos assim, pelo que se deverá ter sempre muito cuidado com esta estirpe de falsários e perigosos aldrabões.

 

Ora o compreensivelmente ressabiado e destronado vice-presidente do PSD, Marco António Costa, disse ontem pomposamente na Guarda que espera que o novo Governo do PS "não estrague" aquilo que foi feito pelo anterior governo liderado pelo seu amigo Pedro Passos Coelho. "Este Governo do PS e da esquerda, que não estrague aquilo que foi feito pelo Governo que o antecedeu", afirmou o fogoso, indómito, bem falante e elegantemente bem vestido dirigente social-democrata, referindo-se à situação em que o anterior governo PSD/CDS deixou o país. Estaria Marco António Costa a reportar-se, quando se refere ao "...aquilo que foi feito pelo anterior governo...", ao resultado das políticas de desapiedada austeridade que deixaram pelo país fóra um rastro de três milhões de pessoas a viver abaixo dos níveis de pobreza e centenas de milhar de pessoas que tiveram de emigrar para o estrangeiro para não morrerem à fome cá dentro? Obviamente que não!...

 

É claro que Marco António Costa desta feita não fez um reles porta-a-porta para abraçar a causa, antes usou e abusou dos jornais e das televisões para nos entrar pela casa dentro e nos tentar hipnotizar e manietar com o seu soletrado verbo e o seu sempre espampanante "Hugo Boss" domingueiro. O método foi ligeiramente diferente, mas o objectivo foi semelhante, pelo que... olho vivo, ò vítimas dos aldrabões!...