Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

russomanias

russomanias

Passatempo Facebook

O domingo esteve chuvoso e triste e o que me apeteceu mesmo foi passar um pouco de tempo a divertir-me fora do habitual. Já havia manobrado o Jornal de Notícias só por alto e aquela entrevista do Passos Coelho deixou-me mesmo encafuado. Vejam lá a grandíssima latosa do gajo, vir agora descaradamente dizer que enquanto esteve no governo o Banif deu sempre lucro. Como sei de ginjeira que haverá sempre papalvos para "comer" mais aquela mentiróla, decidi-me a terminar o dia de uma forma descontraída e divertida, que isto de levar a vida demasiado a sério, já dizia a minha avó Generosa, nunca deu saúde a ninguém. Passatempo divertido e mesmo ali à mão de semear só encontrei o Facebook, que de leituras ditas sérias já ando eu cheio durante a semana. É claro que grande parte das pessoas que conheço não pensarão como eu, mas para mim o Facebook é uma paródia... logo um esporádico divertimento.

 

Mal abri o dito cujo uma importante notícia me chamou logo a atenção, a qual referia que fulano de tal pedia muita desculpa aos seus "amigos" do "face" pois havia estado, por uns dias, ausente do "convívio" diário e muito doente e, por isso, tinha tido necessidade de ir fazer a cura à sua casa da aldeia, logo postando duas fotos suas junto a uma lareira, onde grelhava duas febras e assava uma morcela. Genial!... Continuei a manobrar o rato e, logo, uma outra novidade de se lhe tirar o chapeu, pois ali era mais uma vez escarrapachado por uma conhecida "amiga" que, agora sim, ia despedir-se de uma vez por todas desta miserável e triste vida, que já não valia mais a pena e que agora era de vez. Os "comentários" que se seguiam àquela triste "notícia" eram mais de duzentos, dizendo uns "não faças isso!...", outros "tem calma rapariga!...", e um outro "a tua vida vai melhorar, vais ver!...". Mas o "comentário" de que mais gostei foi o de "ò filha, o que tu gostas mesmo é de colinho!". Ena pá, este último "comentador", pelos vistos incisivo psicólogo, acertara mesmo em cheio na análise. Entretanto, já passara uma preciosa boa meia hora neste meu "passatempo". E nem ía dar para mais, pois dos lados da cozinha já se ouvia "todos para a mesa... vamos jantar!"...