Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

russomanias

russomanias

Vamos a eles!...

Não me venham agora para aqui dizer que lá por não alinhar inteiramente em alguns dos muitos esquemas montados para nos alienarem a alma e o corpo isso me proibe de gostar de futebol. É claro que já passei aquela fase de andar triste ou encafuado dado o facto de a minha equipa do coração perder a partida de futebol contra o rival, ou até de desancar forte e feio nos meus mais chegados amigos de peito por estes me emprastarem a cabeça com mesquinhices sobre transferências ou ordenados astronómicos de jogadores. Outra coisa muitíssimo bem diferente são os resultados da nossa selecção nacional, pois aqui vem-me ao de cima o meu orgulho de ser português e a possibilidade de um pequeno país como o nosso mostrar no terreno do desporto actual aquela veia ganhadora que já nos caracterizou outrora como nação. Sim, que isto de ver Portugal espezinhado lá fóra ou cá dentro tem sido, infelizmente, o pão nosso de cada dia, como aquela triste situação de ver o nosso jovial presidente Marcelo ajoelhado perante a protuberante Senhora Merkel, pedindo-lhe para que a Europa (a Europa que dizem que é ela...) não nos aplique o castigo relativo ao incumprimento do "déficit", ou aquela outra cena miserável de o nosso riquíssimo país rejeitar para a Namíbia o espólio da sua afundada caravela quinhentista "O Bom Jesus", carregadíssima de moedas de ouro e de outros preciosíssimos artefactos, precioso património da nossa gloriosa história.

 

É claro que não lhes vou agora pedir, como muitos outros o fizeram já, que Portugal traga para casa a taça correspondente a campeão Europeu de 2016, que isso é não ter em consideração que, para além do futebol praticado em campo, muitas outras circunstâncias contam para se cair nas boas graças dos grandes senhores do futebol mundial e lhes "sacar" o troféu tão ambicionado, e isto sem querer embarcar nas chamadas "teorias da conspiração" claro, mas sim o que peço aos nossos actuais "heróis" do relvado é que sempre que apanhem pela frente uma senhorial Inglaterra, uma soberba França ou uma irascível e petulante Alemanha, lhes preguem três sêcos sem resposta como já aconteceu no passado, e nos vinguem das inúmeras afrontas com que nos têm atormentado lá fóra, juntamente com as dos seus tristes "amigos" cá dentro.

 

Por tudo isto, meus bravos... vamos a eles!...