Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

russomanias

russomanias

Blatter, Figo e... os idiotas do costume!...

Ainda estamos muito longe de saber da real extensão da podridão que vai nos meandros da estrutura da FIFA. Por aquilo que já se falava às escondidas, a situação era preocupante, pois alguns diziam mesmo que a decisão de realizar o Mundial de 2022 no Qatar foi um grande negócio que só foi possível por terem sido subornadas as estruturas da FIFA. Pairam igualmente as mesmas suspeitas relativamente ao Mundial realizado em 2010 na África do Sul, falando-se aqui em "luvas" na ordem dos 10 milhões de dólares. A realização do Mundial de 2018 na Rússia, pelos vistos, também deixa muitas dúvidas. A Confederação de Futebol da América do Norte, Central e Caribe, Concacaf, é suspeita de ter recebido 1 milhão de dólares das mãos de Joseph Blatter, doação cujos contornos não aparecem ainda devidamente esclarecidos. Mas, pelos vistos, os escândalos não se ficam por aqui, não sendo de estranhar que o deslindar da enorme teia de interesses e de corrupção venha a trazer ainda retumbantes mas não propriamente esclarecedoras novidades.

 

Luís Figo, esse genial jogador de futebol que tantas alegrias deu ao futebol português e tantas e merecidas honrarias recebeu pela sua extraordinária carreira como homem e desportista, decidiu candidatar-se ao cargo de presidente da FIFA por achar que Blatter já não correspondia, como se veio a comprovar depois, ao que se esperava de um dirigente máximo do futebol mundial. Figo sabia do que a casa gastava, não tinha como não o saber. Com aquela garra de vencedor que sempre o caracterizou atirou-se para a frente, mas logo, perante o gigantismo (balofo e alimentado a dólares...) do adversário... desistiu. Fez mal, e perdeu uma oportunidade excelente para reforçar os fundamentos de uma sua possível futura candidatura!... 

 

Uma palavra para o pessoal do futebol que anda sempre para aí todo assarapantado e enervado com as bandeiras às costas e a desancar nos polícias e em tudo que encontra pela frente... continuem assim ceguinhos e animados, nem imaginam o quanto Blatter e os seus herdeiros na FIFA agradecem!...

 

 

Adoro os nossos "heróis" do futebol!...

É habitual dizer-se que Portugal é um país de brandos costumes, e onde melhor podemos verificar da cabal veracidade ou não dessa afirmação é precisamente nos nossos campos de futebol, antes, durante e depois de vinte e dois geralmente bem pagos "players" terem baralhado e perseguido a bola pelos quatro cantos do relvado. É claro que se me vierem para aqui dizer que essa "brandura" não é nada comparada com a dos estouvados madrilenos ou a dos destrambelhados teutónicos, isso pode acontecer, mas do que aqui estamos a falar é dos heróicos e valentes lusitanos, esses destemidos pastores que colocaram as hostes de Roma na mais completa debandada. E para provar que somos mesmo um povo de destemidos "heróis", basta-nos olhar para o que se passou este último domingo em Guimarães e em Lisboa, com todos aqueles "soldados" vermelhos em pé de guerra, prontinhos a defender a Pátria e os valores da democracia duramente conquistados.

 

E não me venham dizer que aqueles revolucionários soldados "vermelhos" são os mais valorosos em campanha, pois sempre que necessário os similares esquadrões "azuis" ou "verdes" são tão bons como os primeiros e todos juntos são, sem dúvida, uma reserva militar e moral deste nosso jardim à beira-mar escarrapachado. Claro que a minha satisfação não pode ser melhor do que a que é hoje, pois verifico que o nosso país está vivo e bem vivo, com uma capacidade ofensiva fora do comum, pronto a deixar em frangalhos qualquer tentativa de agressão externa, por mais poderosa que seja. Se a NATO precisa mesmo de bons "soldados" para combater os infieis, sinceramente não compreendo que ainda não tenha reparado neste nosso Portugal, pois aqui eles existem aos molhos, somos um fervilhante viveiro dos melhores deles, de todas as cores do arco-iris.

 

Claro que qualquer um de vocês me pode colocar a pertinente questão, e bem, de saber por que raio de razão esses valorosos "soldados" estão sempre tão caladinhos e deixam de ser "heróis" quando o Governo ou o patrão lhes vão, desalmada e airosamente, aos bolsos. A minha resposta só pode ser uma... "os heróis também se abatem"!...

 

 

O nosso melhor do mundo

Quem me conhece sabe perfeitamente que não perco uma oportunidade de dar, sempre que me parecem justas, umas boas bicadas no nosso Cristiano Ronaldo. É que custa-me a sair da cabeça que o rapaz tem dois pesos e duas medidas sempre que joga futebol. E a culpa não é só dele, nem principalmente dele, mas igualmente dos seus treinadores e dirigentes dos clubes em que joga. E essa minha suspeita advem-me do facto de me parecer evidente que o nosso craque se esfalfa até cair para o lado sempre que joga pelo Real Madrid, mas já quando joga pela nossa Selecção a minha opinião é que andará sempre atrás dele uma vózinha que lhe sussurra continuamente ao ouvido: "cuidado!... não corras demais, tenta evitar os lances mais duros para não te magoares, olha que o dinheirinho grosso que ganhas somos nós, clubes, que to pagamos, pois quanto à Selecção de Portugal aquilo não te leva a lado algum". Claro que todas estas minhas suspeitas são resultado da minha intuição e do que vejo, dos jogos espectaculares que o nosso rapazote fez no passado no Manchester United e tem feito no Real Madrid. Mas, dirão vocês, ingrato, e o jogo contra a selecção da Suécia em que o rapaz marcou três de uma assentada, e que golos meu Deus? E em muitos outros jogos mais na Selecção, em que o nosso rapaz também brilhou? É verdade, admito, aqueles três golos contra a Suécia foram de mais e o Ronaldo efectivamente mostrou aí que a nossa Selecção ainda lhe diz alguma coisa... nem que seja só um pouquinho.

 

Vem isto a propósito desta história pacóvia de saber se o nosso Cristiano tinha o direito ou não de realizar a sua festa de aniversário logo após o Real Madrid ter sido bafejado com quatro "sêcos" pelo Atlético no último fim de semana. Quanto ao facto de o Real ter levado com quatro e o nosso Ronaldo nem um golito sequer ter enfiado na baliza do adversário, tenho que reconhecer que o facto deitou um pouco por terra a minha teoria e as minhas suspeitas, pelo que do facto aqui faço o meu acto de contricção e peço desculpas ao rapaz. Já quanto ao andarem para aí a dizer que o "miúdo", ao levar a sua festa de aniversário avante, não respeitou o Real nem os adeptos e os colegas naquelas horas logo a seguir a tanta aflição e que mais valia ter adiado a comemoração, só me resta concluir que o nosso rapazote fez muito bem em passar por cima daqueles momentos de tristeza e alinhar na borga e cantoria, pois que "tristezas não pagam dívidas" e trinta anos só se fazem uma vez na vida. Bora lá Ronaldo a comemorar em grande!... esses gajos não podem contigo porque têm é inveja de nunca se terem deitado a sério com a bela eslava Irina!...

 

 

Futebol de ataque

Se no puro terreno da bola a idade nem sempre é um posto, antes pelo contrário, já aos comandos de um clube de futebol a idade parece ser mais do que um posto... é uma garantia de sucesso! Veja-se o caso do franganote e verde Bruno do Sporting, que até aqui há uns meses andava de peito feito e arrotava bravura futebolística por tudo quanto era canal de TV. Ele era o maior, o único detentor da verdade no mundo da bola... o resto eram só vigaristas e compradores de árbitros. Berrou contra o Benfica, atroou contra o Porto, malhou forte no ultimamente calado Vieira, insultou e distratou o Pintinho do clube do norte. Enfim, verdadeiro Deus era somente o Bruno... o resto era pura e esconça velharia. Como se diz cá no Porto... arrogante do caraças!...

 

Muito me admira ultimamente a postura do "red" Vieira, figura cimeira do sempre grandioso Benfica. Outrora falador inveterado contra o sabidola e calejado Senhor dos "azuis", não perdendo nunca uma oportunidade para o tratar do piorio, decidiu há uns tempos a esta parte calar-se e passar finalmente ao necessário trabalho... e os resultados estão à vista. Desde que mudou de atitude relativamente ao "velho" inimigo e lhe copiou os passos... mais dois campeonatos na gaveta!... e fez muito bem, que isto de insultar por insultar e o outro é que ganhava sempre não tem piadinha nenhuma, nem os sócios continuariam a cair por muito mais tempo naquelas conversas da treta. Aprendeu a lição com quem sabia muito mais de futebol e da vida do que ele... o que é de louvar.

 

Já quanto ao sempre fiúza e nortenho Pintinho pouco mais há a dizer. O humilde e laborioso Porto é uma autêntica fábrica de fazer carcanhós. Compra jogadores na Colômbia por dez tostões e vende-os ao Real e ao Chelsea por dez milhões. Cai durante um ano mas ganha dinheiro, no ano seguinte está já na berra e a malhar p'ró título. E como a idade e a sabedoria na direcção do futebol é uma cátedra, juntou-se ao sulista e doutorando Vieira e pregou uma valente pranchada no caloiro e arrogante Bruno, que em vez daquele vozeirão de espanta pardais canta agora escaganifadamente que nem garnizé... que é o que ele no futebol é.

 

À boa maneira portista... viva o futebol de ataque!...

 

 

Dicionário de Política para Tótós - de A a Z

FUTEBOL - Já sei que depois desta minha provocaçãosinha alguém aparecerá logo a dizer que mais uma vez misturo alhos com bugalhos e que futebol e política têm tanto a ver um com o outro como o azeite tem a ver com a água ou o mel com o sal. É que, como toda a gente sabe, dá sempre muito menos trabalho mandar umas labercas a propósito de tudo e por nada do que queimar as pestanas e os neurónios a acompanhar diariamente os assuntos e, quando o interesse assim o exige, investir umas massas jeitosas a comprar uns livrecos ou uns jornalecos escritos por especialistas numa determinada matéria. É claro que, quando se topa que alguém está bem ou mais ou menos informado sobre o tema em disputa, sempre se puderá arremessar, à falta de melhor argumento, com a sempre impactante e de belo efeito tirada... "lá vens tu, mais uma vez, com a malfadada teoria da conspiração"!... e não é que um ataque vesgo e de tal amplitude tem sempre algum efeito no ouvinte mal avisado?... pois tem... e com tal tirada por aí ficam muitos calados... muitos, menos eu!...

 

Pergunto eu, pois, por que razões esconsas e mal explicadas nunca nenhum alto dirigente dos três grandes do nosso futebol, sempre que é acusado, publicamente ou não, de andar metido nas mais confusas manigâncias, ter sido até hoje obrigado a abandonar o poleiro em razão de tais acusações? O que nós vimos até, com um certo gozo, é o bailinho da Madeira que esses altos dirigentes dão ao poder político, que não se atreve sequer a tocar-lhes com uma unha. Que medos terá então o poder político dos principais patrões do futebol?... não falo aqui do Belenenses nem do Paços de Ferreira... falo do FCP, do SLB e do SCP!... de que favores precisa então o poder político por parte dos poderosos senhores do futebol?... será de votos?... ora, como toda a gente sabe, votos representam dinheiro, muito dinheiro... e para muita gente!... por muitos anos!... ora isto nada tem a ver com uma suposta teoria da conspiração, antes se trata de conhecer e de compreender a famosa e mercantilista "lei da oferta e da procura"!...

 

A não ser assim, como explicar que cada vez mais conhecidos políticos e comentadores invistam em carreiras dominicais e semanais de impactantes e tecnicistas teorizadores de futebol?... como explicar os descarados namoros que os senhores do poder político insistentemente fazem aos craques da bola para que embelezem e apoiem as suas listas eleitorais?... lembram-se daquela cena do primeiro-ministro José Sócrates ter aparecido ao lado do famoso Luís Figo em plena campanha eleitoral de Setembro de 2009?... pois então, segundo o Semanário Expresso da altura (Abril de 2010), o apoio de Luís Figo a Sócrates foi comprado com dinheirinho da Taguspark... empresa de capitais públicos (com os teus e os meus carcanhóis, portanto!...). Porreirinho, hein?... campanha eleitoral paga às custas cá do conspirativo Zé Pacóvio!... se o futebol não anda ensarilhado, e muito bem ensarilhado, com a evasiva mas lucrativa política... então eu vou ali e volto já!...

 

A propósito... alguem topou por aí uma tal de malfadada e mil vezes repetida... "teoria da conspiração"?...

 

 

Quando era puto queria ser jogador de futebol...

Quando era puto queria ser jogador de futebol. E não era para admirar. Eram os tempos do Eusébio, do Simões, do Torres, do José Augusto, do Coluna, do glorioso Benfica, dos Magriços de Inglaterra. Eram tempos mágicos para mim, só via bola e mais nada. Caminhava pelas ruas e só me via sonhando a correr com os pés no esférico, os espectadores a aplaudir-me e eu, fintando tudo e todos, a emprastar com a bola bem no fundo da baliza do adversário. Eram os tempos dos três F's... Fado, Futebol e Fátima. De fado não gostava muito, era todos os dias e a toda a hora na rádio e na TV. De Fátima mais ou menos, pois lá em casa a religião tinha então um peso enorme e era comer e calar. Do futebol sim, era com gosto que aos sabados e domingos jogava de manhã à noite, dando literalmente cabo do par de sapatos que os meus pais com tanto esforço me compravam. Mas tudo deu em nada. Tinha força mas, pelos vistos, não tinha jeito, ou então não me toparam devidamente, enfim, ainda fui ao Vilanovense, o clube cá da terrinha, mas não me fisgaram. Fim do sonho... que a vocação era outra.

 

Aos vinte anos o que mais queria era ser politico. Por alturas do 25 de Abril, frequentava eu a Escola Secundária à noite, como trabalhador-estudante, a revolução envolveu quase toda a gente, uns a favor, outros contra. Eu era a favor porque sentira na pele o que era fazer parte de uma família trabalhadora em Portugal, cujo chefe de família se vira obrigado a emigrar para sustentar a prole e garantir um futuro mais risonho. Havia que lutar por mudanças profundas no país, que intervir como cidadão empenhado na mudança. Lia muito, centenas e centenas de livros extra escolares, lia sobre política, filosofia, história, literatura, arte, arqueologia (gostava então, e ainda gosto muito, de arqueologia). Interessei-me também por linguas, a nível escolar e como autodidacta. Foram anos de muito empenho e dedicação às transformações democráticas no país, mas muito pouca dedicação a mim e à minha família. Paguei pessoalmente, com a minha família, um alto preço pele meu empenho... enquanto muitos outros "democratas", de cravo ao peito, tratavam da sua rica vidinha.

 

Agora, quando já devia era ter juízo, ando numa de Indiana Jones. Há uns anos atrás achei que devia perder um pouco mais de juízo e deixar-me dessas histórias de querer mudar o mundo a qualquer preço. O mundo tem mudado e vai continuar a mudar e outros virão que, muito mais expertos do que eu, lhe darão a volta muito mais subtilmente. Decidi então fazer a "revolução" dentro de mim mesmo e deixar que os outros façam a sua quando muito bem entenderem. Eu não sei nada, e tenho até mais dúvidas que certezas. Atirei-me então para a frente, fazendo o que já devia ter feito à uma dezena de anos atrás. Mas valerá a pena repescar sonhos antigos e dedicar-me a desafios de difícil concretização. Valerá a pena fazer em adulto, já cota, tudo o que os outros fizeram em meninos. Certezas não tenho, nem ninguem as tem, mas uma coisa eu sei e sinto-o dentro de mim... 

 

                                                                                                                                enquanto tiver um sonho estou vivo!...