Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

russomanias

russomanias

Dicionário de Política para Tótós - de A a Z

DITADURA - Normalmente vista como o oposto da democracia e um regime onde impera a ausência de participação da maioria do povo, uma verdadeira ditadura pode contudo possuir contornos dúvios que escapam por vezes ao alcance do comum dos cidadãos. Em Portugal e noutros países europeus, como em Espanha, Itália, Alemanha, foi sobejamente experimentada pelo povo a tenebrosa ditadura fascista, regimes em que se cometeram as mais escabrosas e violentas barbaridades. Veja-se também o caso da tão antigamente falada ditadura do proletariado, forma de governo em que supostamente os trabalhadores, os proletários, assumiriam o poder e o controle do estado para, aí instalados, encetarem o glorioso caminho para a construção da dita sociedade sem classes. O que se viu foi contudo, em vez do proletariado, a subida ao poder dos mais sanguinários déspotas e ditadores e a deportação e o assassinato em massa de largos milhares de pessoas.

 

E que dizer também da presente ditadura do capital, este mundo novo em que tudo é visto e decidido em função dos interesses e desejos de dúzia e meia de famílias poderosas espalhadas por Portugal e por esse mundo fora? Matem-se as pessoas à fome... mas salve-se o capital! Mas temos também, pelo menos em Portugal, a principesca e bem remunerada ditadura da incompetência, em que ministros e secretários de estado, com licenciaturas tiradas a martelo, são levados aos ombros para os seus ministérios não pelos seus conhecimentos e capacidades, mas pela sua fidelidade canina aos partidos do "arco do poder", ou então pela forma matreira e habilidosa como se movem nos escondidos e dissimulados palácios dos adoradores do compasso e do avental. A acrescer a todas estas temos também a ditadura da austeridade, em que países como Portugal, Espanha, Grécia, Irlanda e outros são colocados, pelos seus governos, a reboque das pretensões hegemonistas da Alemanha e do partido conservador de Angela Merkel.

 

Como vimos acima, ditaduras não faltam, e para todos os gostos. Um aspecto muito "engraçado", mas que não tem graça nenhuma, é porém comum a todas elas... têm como principal alvo e vítima o sempre descontraído e incauto Zé pacóvio!...

 

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.