Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

russomanias

russomanias

Melhor candidato do que eu não há!...

Agora que o Governo e o PS entraram abertamente em campanha eleitoral, é hora de todo o cidadão capaz se chegar à frente e apresentar ao comum dos portugueses as suas propostas para mudar o rumo do país e nos conduzir a todos ao reino da felicidade e prosperidade para sempre. Eu cá por mim não deixo por mãos alheias esta obrigação que diz respeito a todo o cidadão empenhado, pois isto de estar sempre a criticar e a mandar umas labercas contra os governantes não tem jeito nenhum, nomeadamente quando a crítica não vem seguida das necessárias contra-propostas e sujestões. Claro que só vou avançar em definitivo se sentir que tenho o apoio suficiente para chegar ao poder, pois isto de ter a trabalheira toda para ser candidato a primeiro ministro e depois o "sabor da cadeirinha" me passar ao lado não tem nada a ver comigo, que só me meto numa "guerra" para sair vencedor, ou então, e isto no mínimo, para fazer como o Portas e aguentar a barra de um acordo com o partido mais votado a qualquer preço para, à falta do "sabor", pelo menos não me escapar o "cheirinho" e os proveitos do poleiro. Então, digam-me lá o que acham do meu Programa de Governo que vem já a seguir, para já apenas resumido, para chegar a 1º ministro!

 

A primeira medida que me proponho tomar mal forme Governo será a restituição imediata e integral de todo o dinheirinho que foi sacado aos reformados, pensionistas e funcionários públicos, tostão a tostão, mas só o farei se a economia estiver a crescer 10% ao ano e a China deixar de crescer e entrar em colapso económico; como segunda medida, proponho-me diminuir o desemprego para 1,9% ao ano, mas para isso os que estão agora desempregados, qualificados e não qualificados, terão de aceitar partir para o campo para tomar conta dos rebanhos de cabras e ovelhas que serão colocados, de norte a sul do país, por serras e vales, e assim rapilhar os arbustos e mato e limpar os terrenos baldios, evitando assim os focos de incêndios que assolam todos os anos o país na primavera e no verão; a terceira medida a que me comprometo será, de uma vez por todas, o corte definitivo daquilo que chamam as "gorduras do estado", o que permitirá, finalmente, reduzir de sobremaneira as despesas públicas e colocar o país na senda do crescimento. Claro que não vou estar agora para aqui a dizer onde vou ou não vou cortar, até porque posso ter necessidade de colocar muitas centenas, ou até milhares, dos meus apoiantes em lugares de relevo nos ministérios e institutos do estado e então, mas só nesse caso, lá terei de cortar nas "gorduras" dos reformados, pensionistas e funcionários públicos e aumentar mais uma vez, mas só um pouquinho, os impostos. Vocês estão a ver, não é?

 

As três medidas que acima indiquei serão as mais importantes do meu Programa de Governo. Mas tenho muitas outras já devidamente pensadas e prontas a trabalhar e a aplicar. É o caso das medidas para o aumento efectivo da "natalidade", onde me proponho atribuir um abono de família de 100 euros mensais, mais um pacote de fraldas Dodot e um bilhete para sorteio de um lugar de infantário, mas só para cada agregado familiar com mais de 10 filhos. Uma boa ajuda, não acham? Uma outra medida que tenho já em estudo, com vista a incrementar a economia e o sector da construção nomeadamente, é a criação de uma isenção fiscal de IMI para todas as construções de primeira, segunda e terceira habitação de valores superiores a 500.000 euros, medida que fará com que os mais ricos e poderosos larguem de vez os cordões à bolsa e fomentem a economia e a criação de mais postos de trabalho construindo ainda mais; uma outra proposta já em estudo, que será fenomenal e me trará de certeza muitos votos e apoiantes será um pacote de medidas de apoio à terceira idade, e que se traduzirá no pagamento a cada pensionista e reformado de uma pensão mínima igual a duas vezes o salário mínimo nacional, isto é, reformas mínimas de 1010 euros mensais. Se esta última arrojada medida será ou não viável, quando eu chegar ao poder logo se verá. Se algo correr mal e esta "promessa" se tornar impossível, resta-me dizer, como fizeram o Sócrates e o Passos... que o último Governo nos enganou a todos com os números e que eu não tinha conhecimento da verdadeira situação do país. Que acham?... genial, hein?... 

 

Por isso, meus queridos admiradores e apoiantes, votem em mim... pois melhor candidato do que eu não há!...