Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

russomanias

russomanias

O silêncio dos felizardos

Aqui há dias desloquei-me a um supermercado da área onde resido e, como vem sendo habitual nos dias de hoje, lá estavam mais umas senhoras da organização X P T O a entregar sacas e a pedir alimentos para matar a fome às inúmeras vítimas da política de austeridade. A situção é tão crítica que não há quase dia nenhum em que não se encontrem situações destas nas entradas dos ditos supermercados. Claro que toda a gente sabe das enormes dificuldades de milhares de famílias neste país e, por isso, apesar da crise, a solidariedade do povo português acaba por vir sempre ao de cima. Uma dessas senhoras dirigiu-se então a mim e entregou-me uma saca para a oferta dos alimentos que eu quizesse fazer. Agarrei na saca mas também lhe disse que os de baixo estão dispostos a ajudar mas que os de cima, que originaram a crise e se aproveitaram e aproveitam dela, deveriam ser também chamados à responsabilidade. Ora a senhora não esteve com meias medidas e, vai daí, com ar de santa, atirou-me logo com esta... "deixe-se de política"!...

 

Este "deixe-se de política" não me beliscou em nada, habituado como estou a ver todo um povo a ser sacaneado cada dia que passa e a fechar-se em copas como se nada acontecesse. É que, quarenta anos de bolorenta ditadura fascista e outros quarenta de democracia de três em um (PS + PSD + CDS) deu nisto... o pessoal não está para se chatear com a realidade da vida, pois para isso já basta o futebol. É claro que este "deixe-se de política" também quer dizer muitas outras coisas, tais como... "deixe estar lá em cima os coitadinhos descansados pois eles não têm culpa de nada", ou então... "quem manda pode e que remédio temos nós senão aguentar", ou ainda... "que havemos de fazer?... Deus assim quiz e agora só nos resta pedir para uma tijela de sopa para acudir aos coitados dos pobrezinhos"!... 

 

A quem aproveita o comprometedor... silêncio dos felizardos?...