Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

russomanias

russomanias

"Star Wars" e a... Guerra dos Sexos

Todo o bom partido que honestamente se preze estabelece as suas causas e as suas "guerras" mobilizadoras de antigas e novas hostes. Logo a seguir ao distante 25 de Abril tinhamos o partido do centro-direita (CDS), da social-democracia (PPD/PSD), do socialismo (PS), do comunismo (PCP), do trotskismo (POUS) e do maoismo (UDP). Todos eles tinham os seus heróis e o seu "leitmotiv", a sua causa dinamizadora, que passavam pela sociedade democrata-cristã, melhor dita conservadora, liberal em maior ou menor intensidade, a mítica sociedade comunista ou maoista, com mais ou menos ditadura, e por aí fóra. Os tempos entretanto mudaram e hoje estamos igualmente perante uma mescla de partidos, alguns ainda dos velhos tempos, em que as esperanças que nos restam são as de... uma sociedade capitalista melhorada. Claro que lá nos aparece de vez em quando uma ou outra novidadesita, como aquela do simpático partido dos cãesinhos, dos gatinhos e das tartarugas, o célebre... PAN.

 

Ultimamente, contudo, perante um cada vez mais preocupante vazio e falta de mais altas e sempre mais valorosas "bandeiras" orientadoras de novos amanhãs libertadores, tornou-se clara para alguns a necessidade de novos e mais profundos "brainstormings", novas e mais poderosas tempestades de ideias libertadoras que possam garantir, com urgência, a geração de mais potentes energias para cimentar tudo o que já se conquistou até hoje e o alargamento da base futura. O odiado capitalismo predominante é por todos gozozo mas filosoficamente não mobiliza; o seco socialismo já vem esparramado na Constituição há 40 anos e deu no que todos sabem; o comunismo, por seu lado, descambou no enigmático "homem novo" estilo Abramovitch dos milhões do ouro negro, logo pouco mobilizador; o maoismo, contra todas as previsões, deu na segunda maior potência capitalista, que tem como supremo e último gozo a compra de países caídos na desgraça, como Portugal. Mas o mundo é composto de mudança e, no nosso caso, logo a esperta "star" do novíssimo Bloco de Esquerda (BE), Catarina Martins, deu de caras com uma nova e bela "palavra de ordem", mobilizadora de multidões... "não ao Cartão do Cidadão!"... a "palavra 'cidadão' é do sexo masculino!"... "onde entram aqui as mulheres?"...

 

"Cidadãos e cidadonas deste país, a hora é de luta!"... ou serão cidadãs?...

 

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.